Nenhum compromisso
Receba em seu email nossas publicações.
Nome:
E-mail:
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Notícias

domingo, 26 de agosto de 2018

Artigo: "Santa Mônica", por Pe. Brendan Coleman Mc Donald

 
No dia 27 de agosto de 2018 a Igreja Católica celebra a Festa de Santa Mônica, a mãe de Santo Agostinho de Hipona. Ela nasceu no norte da África, em Tagaste, em 331 d.C. Nossa santa foi de família pobre e trabalhou como uma cuidadora dos filhos de uma família rica, algo normal  na época. Da senhora da família onde ela trabalhava recebeu uma excelente formação religiosa.

Com dezoito anos de idade casou com Patrício um homem de uma família abastada. Infelizmente Mônica não estava feliz no casamento devido à infidelidade do seu marido. Apesar disso ele foi uma cristã exemplar, boa esposa e boa mãe. Do  matrimônio nasceram três filhos: Agostinho, Navígio e Perpétua. Com paciência e perseverança, conquistou o apreço de seu marido que foi convertido à fé em seus últimos dias.

Morto o marido a vida de Mônica transformou-se em um seguimento apaixonado e tormentoso de Agostinho. O próprio Agostinho fala sobre sua mãe assim: “Minha mãe, fiel serva tua, chorava a ti por mim, derramando mais lágrimas por minha morte espiritual que outras mães o fazem pela morte corporal de seus filhos” (cf. Confissões, L3, 10-12; L6,1ss; L9).

Agostinho foi para Roma, fugindo um pouco de sua mãe. E depois para Milão, e até ali ela o seguiu. Porém, ela teve o prazer de ver seu filho Agostinho conquistado pela pregação de Santo Ambrósio e sendo batizado em 387. Disposta a voltar à África com seu filho, morreu aos 56 anos no caminho, no porto de Óstia onde foi enterrada. Durante o pontificado de Martinho V (1417-1437) seu corpo foi encontrado em 1430 e transferido para Roma onde mais tarde uma igreja lhe foi dedicada.

O Papa Alexandre lll (1159-1181) colocou  Mônica entre os Santos da Igreja Católica. Mônica foi canonizada não por ter operado milagres ou por ser mártir, mas sim por ter sido, a “responsável pela conversão de seu filho” mostrando empenho em ensinar comportamentos cristãos como moral, pudor e mansidão, mostrando a intervenção feminina no interior da família, pois foi o meio, através da oração, que contribuiu para a vida religiosa do filho o grande Santo Agostinho, Bispo de Hipona e um dos mais importantes Doutores da Igreja.

A devoção a Santa Mônica tomou novo incremento pelo fato de ser ela declarada Padroeira das Associações das Mães Cristãs.  Estas Associações de Mães Cristãs “Santa Mônica” foram promovidas pelos Agostinianos Recoletos no dia 22 de maio de 2008 em Madri, e já conta com quase 13 mil integrantes  em dez países.

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista
 
Fonte: Arquidiocese de Fortaleza
Link: http://www.arquidiocesedefortaleza.org.br/santa-monica/atualidades/artigos/
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras
  Paróquia Nossa Senhora da Glória - Arquidiocese de Fortaleza
Av. Oliveira Paiva, 905 - Cidade dos Funcionários - Fortaleza-CE - CEP 60.822-130  |  Telefone: (85) 3279-4500
www.igenio.com.br